"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Moneycracy...

Está todo mundo meio histérico e até "comovido" com as contas, os papéis e a contabilidade do Eike Batista! A mídia não fala em outra coisa além dos bilhões desse senhor. Será que em breve teremos mais um mendigo na praça!? Os vassalos e os puxa-sacos estão angustiados, pois se o chefe ruir podem perder suas mamatas paralelas. Os miseráveis de plantão idem, pois seriam privados das migalhas que eventualmente despencam dos altares e dos banquetes. E a classe média, como sempre, curtindo aquela felicidade plena e insana que brota dos subterrâneos da inveja.  
Para entender a bizarrice do capitalismo, imagine-se sobrevoando o planeta e vendo os sete bilhões de terráqueos, cada um cercado por suas posses e por seus bens.  Nós ao lado de nossas dívidas e de nossa bicicleta; outros no meio de suas tralhas; outros no meio de suas panelas e de seus vinte palmos de terra; outros no meio do nada... e OUTROS, cercados por lingotes de ouro, latifúndios, edifícios, frotas de aviões, redes de hotéis, montanhas de Libras, poços de petróleo, garimpos de diamantes... 
Mesmo assim,  as hienas de sempre, arrastando incansavelmente suas correntes, seguem insistindo que os ricos não entrarão nos Reinos dos Céus e que vivemos numa democracia plena!
Bah!!!
Prossigo em minha leitura de A.F.S: [ A máscara é pois, hoje, nestes tempos de diplomacia astuciosa e de solércia sabida, a melhor arma que o homem pode ter. Saber simular e dissimular, eis tudo. Tudo hoje se disfarça. Tudo é mentira. As aparências não são mais do que simples aparências. Um lord por fora é quase sempre um ladrão por dentro, assim como um filósofo por dentro é como um pobre ladrão por fora...]

Nenhum comentário:

Postar um comentário