"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 26 de junho de 2013

1500/2013




Além de cordial, somos um povo excelente! Agora todo mundo, até os banqueiros, está a favor das manifestações! Até a policia! A corrupção que nasceu em 1500, falecerá agora em 2013! Os políticos estão sorridentes e felizes! Jogaram a PEC 37 no lixo e a pisotearam com galhardia. Ninguém sabe quem foi o bandidaço que teve tão esdrúxula idéia? Mas que importa? Passou. Agora estamos no auge da agenda positiva! Que povo ordeiro e responsável! Os juristas saíram dos guetos e, diante de suas bibliotecas, dão aulas sobre plebiscito, sobre constituinte, sobre democracia, sobre referendo e sobre reformas as mais diversas. Um juiz até confessou diante das câmeras que ama a constituição! Todo mundo teme um golpe, outro triunvirato de ratos... até mesmo os golpistas históricos. Mas os caminhões do exército já estão lá nos fundos do Congresso para sufocar os vândalos de hoje a tarde, se for necessário! Todos querem uma pátria livre de corrupção e das orgias partidárias. Uns até apregoam a filosofia chinesa para os reincidentes... Com o reembolso do valor da bala pelos familiares do executado. Caso contrário, quê será de nossos filhos!, é o coro mais vigoroso e potente. Os estádios, aparentemente inúteis, que custaram o triplo do que valem, serão usados para solenidades que lembrarão, entre outras preciosidades históricas, o Coliseu Romano... Todos acham que o dinheiro do petróleo e muito mais, deve ser aplicado sim na educação e na saúde, nesses prédios apodrecidos que arquejam por aí e, claro, na felicidade e na saúde mental dos professores... também na segurança... Pois a polícia será substituída por assistentes sociais... Seremos em breve, ao invés de bufões desprezíveis, um povo sóbrio e erudito! Os transportes, daqui para diante, além de gratuitos, serão uma maravilha, com motoristas que, além de escovarem os dentes serão poliglotas... e com passageiros sentados confortavelmente lendo os novos jornais ou até mesmo Primavera negra, de Henri Miller. Todos querem diminuir a quantidade de ministérios, essa triste marca do subdesenvolvimento... Quem foi o louco que teve a ideia de inventar tantos? Dizem que os senadores, mamando há quarenta anos nos ubres da república e ressentidos com os deuses que não compartiram com eles a imortalidade, voltarão definitivamente para suas casas para rabiscar suas memórias e que os deputados, de quinhentos e tantos, serão reduzidos a apenas quarenta e poucos. Dois para cada estado e que serão escolhidos de cinco em cinco anos pela loteria federal... já que as seitas dos partidos terão seu fim. Dizem que não haverá mais Ministros. Que os próprios funcionários públicos gerenciarão suas pastas...Dizem que os presídios serão esvaziados, mas o supremo acaba de mandar para lá um nobre deputado... Dizem que as igrejas serão transformadas em depósitos de grãos, principalmente de trigo, já que passaremos a ter, no lugar desse pãozinho vagabundo e cheio de bromato, um pão tupiniquim original... Seremos felizes! Indiscriminadamente! Todos verão! A cura gay sairá da pauta nacional; os nossos nativos voltarão ao cauim em detrimento da cachaça; os latifúndios se fragmentarão sozinhos para que não haja, no amanhã, o risco de uma guerra civil. Qualquer um poderá ajoelhar-se ao lado de nossos córregos e beber tranquilamente de suas águas sem envenenar-se... nada de pesticidas nos pimentões! Tudo será potável em nossa existência... As raposas serão intimas amigas das galinhas, os lagartos abandonarão a paixão pelos ovos e os lobos passearão abraçados às ovelhas de madrugada, sob o clarão dessa lua que, como deus, também é brasileira...

Nenhum comentário:

Postar um comentário