"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 26 de abril de 2013

PROCURA-SE: R.G.C.G...


Se você cruzar por aí com um cara que diz chamar-se R. G. C. G., e que por coincidência esteja transportando uma bolsinha com uns pedaços de ayahuasca, fique de orelhas em pé. Pode ser o famoso e procurado líder de uma seita chilena que recentemente jogou numa fogueira um bebê de três dias, com a justificativa de que ele (o bebê) seria o tão temido anticristo que todo charlatão clássico alardeia que virá... Ora, do anticristo é de se esperar coisas bem mais inteligentes do que deixar-se jogar numa fogueira, não é verdade!? Uma criança que já saia do útero com uma granada entre os dentes - por exemplo - ou que já nasça adulta e com uma AR15 engatilhada, etc...
E como dizem que o malandro em questão, depois das chaleradas alucinógenas papava todas as mulheres da seita, é quase certo que o bebê carbonizado era seu próprio filho... Uma variante chilena de Saturno? Crimes hediondos! Não precisamos de mais provas para decretar que o mundo é uma cloaca de loucos, de bandidos en(fé)zados... e que, por detrás de cada uma dessas máscaras shamânicas, de honorabilidade e de civilidade, habita um desertor sanguinário e um criminoso em potencial... 
Só para ilustrar: nesta semana degolaram uma moça quase na esquina de minha casa; ontem incendiaram uma dentista; antes de ontem jogaram uma criança num esgoto; atiraram um velho por uma janela; estupraram não sei quem... As páginas criminológicas estão cada dia mais densas e repletas... enquanto por aí, nos gabinetes aromatizados, reina literalmente a mais triunfal das pazes cemiteriais... E o papel da polícia e do judiciário? Continua praticamente inócuo e ridículo. Só fazem caçar os ratos que aparecem no paiol, sem importar-se com as ninhadas que nascem e crescem nos arredores e nas tocas desse imenso latifúndio... Esperanças? Como diria Kafka: ah!, já não há mais nenhum relâmpago dessas trovoadas...


Nenhum comentário:

Postar um comentário