"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 1 de março de 2013

O lugar mais bonito do mundo... (!?)

O recente enjaulamento dos onze ou doze torcedores do Corinthians na penitenciária boliviana de San Pedro, serviu-me, pelo menos para uma coisa: para que voltasse a reler um excelente texto de Benoît Charlemagne, titulado: O lugar mais bonito do mundo. 260 páginas onde o autor descreve a vida interior da prisão San Sebastian, em Cochabamba (não é curioso que por lá as prisões tenham nomes de santos?). Depois de já ter vivido entre os  clochards de Chicago, entre os favelados de Seine-Saint-Denis e entre os leprosos da Índia, etc., Benoît resolve internar-se voluntariamente nessa prisão boliviana na cidade de Cochabamba. A narrativa do dia-a-dia é... de fazer inveja até a Dante Alighieri...
E por falar em torcedores, seria pertinente que - diante do risco de, por estupidez, virem a apodrecer como forasteiros num cárcere andino - processassem o Estado brasileiro, suas Famílias e seus Clubes por terem permitido e até fomentado que chegassem a um estágio tão crônico de histerismo, adestramento e de alienação. O que é um torcedor? Um bobalhão e um pobre coitado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário