"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 6 de março de 2013

E os gafanhotos voltaram...


E os gafanhotos voltaram... agora, sobre o Egito e arredores! Aos milhões! Segundo um conhecido livro de fábulas, Deus já teria usado esses insetos outras vezes, inclusive, através de seu capanga Moisés, para sacanear os faraós egípcios e dar fôlego ao povo escolhido. Mas desta vez, é unanime a opinião, de que a bicharada, além de mais numerosa, está bem mais voraz... pois chegou até a transpor as fronteiras e as altas muralhas de Israel, todas protegidas por mísseis Tomahawk. O que aconteceu? Teria o demiurgo caducado ou simplesmente democratizado suas pragas? Oxalá não apareçam também as rãs, as moscas, os piolhos... e, o pior: as trevas.


O caso do goleiro Bruno continua infernizando a vida e enchendo o saco de todo mundo! É evidente que se tivéssemos o cérebro em dia já teria sido esclarecido e resolvido há muito tempo. Trinta dias poderia ser o prazo máximo para se analisar e julgar qualquer processo, qualquer crime, qualquer loucura. É preferível correr o risco de condenar um inocente ou de inocentar um bandido do que passar por esse vexame e por essa certificação de burrice coletiva e de travamento mental que representa um desses intermináveis e confusos julgamentos...


Até gostava de ouvir os discursos de Hugo Chaves. Aquelas suas frases fulminantes contra os búfalos do mundo, me faziam bem. Estas, por exemplo: "O neoliberalismo é o caminho que conduz ao inferno!" No dia do aniversário de sua mulher: "Te prepara que nesta noite vou te dar o que é teu!". "Alca, Alca... un carajo!" Ao rei da Espanha que o mandou calar a boca: "Se eu me calar, gritariam as pedras dos povos da América Latina que estão dispostos a ser livres depois de 500 anos de escravidão!"... Agora, não vou negar que no meio de seus discursos, quando começava a falar em Cristo ou em Deus e a beijar o crucifixo em público, diante da multidão desvairada... Ah.., isso me dava ânsia de vômito...

Nenhum comentário:

Postar um comentário