"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

O MERCADO CANINO...

Nestes dias de dezembro não são apenas os negócios referentes a panetones, vinhos, leitões, tâmaras e etc., que são turbinados... O mercado de cachorros também se agita, e muito. Filhotes recém desmamados já são vendidos até em cestos, como se fossem pães de ló... As gaiolas da feira estavam lotadas e de todas as raças neste domingo... Preço de uma cadelinha branca Lhasa Apso: R$: 900,00 (novecentos reais). Na bolsa de valores uma bezerra nelore, com 12 meses e com 165 quilos estava avaliada em R$: 700,00 (setecentos reais)... Encontrei até uma égua árabe por R$: 2.500,00 (dois mil e quinhentos). Claro que não se pode comparar... o preço de um cão com o de uma vaca... o cão é um luxo! Tentava convencer-me o vendedor. Os psicanalistas chamariam atenção para o valor real e o valor simbólico das coisas... enquanto os marxistas falariam em fetichismo da mercadoria e seus segredos... Já, os defensores dos animais, em safadeza mercantil e em exploração desenfreada... Parece que se está fabricando cãezinhos em chocadeiras e em série por aí! E cada dia estão mais servis e mais humanos! Cada um com as neuroses e com os vícios de seus donos... Vejam os vídeos zoo pornográficos na internet. 
Uma ninhada atrás da outra e sob rigorosa eugenia... 
Os PETS agradecem! Um saco daquelas bolotas inodoras: R$: 70,00 (setenta reais). Um vermífugo, R$:40. Um banho: R$: 30,00. Um antibiótico, mais caro que o de uso humano... Uma coleira, mais cara que um cinturão. Borracha contra mosquitos: R$: 80,00. Espanta carrapatos: R$: 48,00... Uma cirurgia então, quase o preço daquelas do A. Einstein...Vacinas, colirios, pasta dental, sapatinhos, brinquedos, motéis, perfumes, gomas de mascar, eutanásia... E já são raros os latidos... 
Quê abismo entre eles e os verdadeiros lobos da estepe!!! Mas nosso desamparo e nossa voracidade não têm limites e não nos rendemos! Precisamos de companhia! Seguimos rigorosamente os protocolos bíblicos (Genesis cap. 1,25,26) segundo os quais, o demiurgo teria colocado os animais no mundo apenas para diminuir nossa solidão, saciar nossas carências, nossas taras e nossa fome...

Um comentário:

  1. Por falar em animais, assim que cheguei ao Rio, uma das minhas tias, irmã da minha avó (já falecida), sabendo da minha tristeza por terem me transferido para esse inferno, me deu um papagaio de presente... O bichinho já veio com nome - Bebeto - e acabou indo parar na casa da minha mãe, porque os meus débeis vizinhos, que residem no cortiço, reclamaram do barulho da ave; que nada se aproxima dos palavrões e xingamos em dia de futebol, ou dos mugidos das orgias noturnas; mas para não me aborrecer, acabei levando o pássaro para um lugar mais civilizado, onde todos o aceitaram...Bebeto virou quase um filho para minha mãe que conversa com ele como se ele a entendesse, afinal a ave fala...rsrsr... Mas apesar de todos os cuidados que ela tem com ele, Bebeto me escolheu para ser sua dona, ou seja, só faz graça quando eu estou por perto, e de quebra, como ele não conseguiu gravar meu nome, devido aos sons anasalados, ainda me apelidou de Caduca...rsrsr...E eu estou começando a achar que ele é mais esperto que muita gente que raciocina...kkkkk kkkkk kkkkk kkkkkk

    ResponderExcluir