"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

O tempo e a longevidade emporcalham e conspurcam...

Como faz todos os sábados à tarde, o mendigo K. esteve neste final de semana lá no Museu da República visitando uma exposição de fotos, pôsteres, produtos e documentários sobre Cuba. Ficou indignado quando, ao final de um vídeo de uns vinte minutos apareceu o crédito da Odebrecht como apoiadora. A Odebrecht apoiando um evento cultural cubano!, ficou resmungando para si mesmo e meio de boca aberta por longo tempo... Sem dar muita importância ao fato, esperei a repetição do filme e, realmente, entre os créditos, estava lá o nome dessa empresa que nos anos oitenta representava a encarnação máxima do imperialismo e do demônio... 
Quando se acalmou pronunciou esta pergunta aparentemente sem sentido: onde está o eixo apodrecido desta Roda da Fortuna? Em seguida contou-me que horas antes havia presenciado algo sub-humano numa parada de ônibus: um velho, já bem velho, chegou trôpego, apoiado num cabo de vassoura e sentou-se num pedaço de concreto que havia no local, ficando ali por uns três ou quatro minutos respirando com dificuldade e gemendo no mais radical dos estoicismos, até que, não resistindo, foi lentamente tombando para o lado e despencando quase dentro de uma poça de água... Duas moças que chegaram naquele momento comentaram entre elas que devia tratar-se de um bêbado quase "cantando para subir". Movido por um impulso de natureza indefinida, retruquei: não, ele não está bêbado, o vi chegando... Ao que o ancião, num esforço brutal sentou-se e bradou na minha direção:  - Bêbado está você, seu filho da puta!.., para em seguida recitar duas ou três estrofes sobre inúmeras de suas doenças e exibir a mim e às moças, os dois testículos que, de tão inchados, pareciam dois maracujás...

Um comentário:

  1. E ainda tem aqueles imbecis que ficam chamando a terceira idade de "melhor idade". Melhor para quem?? E o pior é a indiferença... o abandono... o desprezo...

    ResponderExcluir