"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 6 de julho de 2012

De volta ao MuRRo das lamentações...


1. Fim de férias. Aquisições:  
Petit traité sur l’immensité du monde (Sylvain Tesson);  
Journal d’un écrivain (Dostoievski);  
Histoire anecdotique de la scatologie (Jean Feixas);
Les meilleurs voyants de Paris (Cathy-Anne Hackspill); Marcher, éloge des chemins et de la lenteur (David Le Breton);  
Le livre des vagabonds (Badi al-Zamane al-Hamadhâni); Faites vous-même votre malheur ( Paul Watzlawick);  
Les sources de la honte (Vincent de Gaulejac).
2. Finalmente uma notícia alentadora: segundo pesquisas e cálculos do irlandês Niger Barber, Ph.d. em biopsicologia e estudioso das religiões, em 2038 a maioria da população mundial se tornará atéia. Excelente notícia!.. Apesar de que, segundo meus próprios cálculos e segundo minhas próprias interpretações, a maioria já é secretamente atéia e até mesmo anti-teísta. Muito ou quase tudo daquilo que se considera fé e religiosidade por aí, é puro teatro, anemia e cabotismo. No âmago e na penumbra tanto das mansões como dos cortiços, até as velhinhas mais carolas e beatas já mergulharam no ceticismo e sempre que podem dão uma banana às divindades. Motivo? Nasceram, viveram, envelheceram, adoeceram e estão caminhando para a cova sem nunca terem tido o menor, o mais mínimo e nem o mais insignificante amparo vindo das alturas…

3. Filosofia da miséria: A divulgação dos salários dos “servidores públicos” proporcionará aos médicos e, principalmente, aos veterinários, um material precioso para o aprofundamento do saber sobre as doenças íntimas relacionadas ao dinheiro e também sobre muitas outras psicopatologias da espécie. É assustador que o grande rebanho esteja escandalizado apenas com os vinte ou trinta vivaldinos que faturam mais, bem mais do que  o bom senso e a “lei” permitem e que não se encolerize, que não se revolte, que não diga absolutamente nada sobre os salários da imensa maioria de escravos que não ganha sequer o suficiente para limpar-se o cu.
4. Fui ao prédio do STF conferir os estragos que os Mirages causaram nas paredes e nas vidraças. Um moço esquelético que estava lá sentado ao lado do monumento à justiça fez questão de acompanhar-me e de ir relatando os fatos. Em sua expressão de órfão uma estranha e inegável chispa de felicidade e de gozo. A cada frase fazia referência concreta aos pilotos anônimos como se fossem verdadeiros heróis. Meio confuso continuei ouvindo-o com bastante atenção, mas só consegui entender seu entusiasmo quando ele pronunciou nostalgicamente a frase final: E nós que durante tantos anos sonhamos em fazer a coices e a pedradas exatamente o mesmo!!!

5. É patético e curioso que os partidos, os sindicatos, os professores, os ambientalistas, os profissionais da saúde mental, aqueles que passaram a vida inteira cacarejando sobre o Porvir e os criticos em geral engulam com tanta passividade a programação diária de nossas televisões, essas "escolas" permanentes de imbecilidade e essas fábricas de desmiolados. E olhem que acabam de surgir dois novos programas! Nos últimos meses foram uns cinco ou seis! Um mais desprezível que o outro... Sempre pilotados pelos mesmos e veteranos personagens adormecendo e apodrecendo o raciocinio da plebe com besteirinhas infanto-juvenis e descaradamente fazendo propaganda de porcarias sucateadas, superfaturadas e inúteis... Cínica e desavergonhada gente!!!

Um comentário:

  1. Eu sempre achei que os rituais religiosos eram sintomas de TOC. Ou uma forma de lidar com a solidão... ótimo texto...

    ResponderExcluir