"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

terça-feira, 1 de maio de 2012

Três notícias que afetam os alicerces de meu ânimo e de minha "boa vontade"....


4 comentários:

  1. Depois de tudo que eu presenciei, quando estive no Governo, nada mais me surpreende e nem me afeta, nessa colônia disfarçada, nem mesmo as barbaridades que eu tenho observado na "Cidade Maravilhosa"...Aliás, apenas para ilustrar, eu esbarrei com uma conhecida, que eu não a via há muito tempo, e que resolveu comentar toda a sua trajetória profissional, desde que saímos do segundo grau... Formada, mestrada, doutorada na área de psiquiatria e psicologia, o que ela realmente queria me narrar foi a sua desilusão após ter passado em um concurso de um departamento de segurança, não me lembro se era civil ou federal. Parece-me que ela ficou tão assustada com o que viu, que não demorou muito tempo, pediu demissão, e voltou para o seu consultório particular, patrocinado pelo pai. Sentamos em um café, e em um monólogo compulsivo, eu ouvi algumas histórias sobre os policiais que ela atendeu, e sobre o caus que se instalou na área de segurança, no Rio de Janeiro, nada que para mim fosse novidade, mas continuei a ouví-la... Eu não sou psicóloga, mas aquela "moça", que tem a mesma idade que eu, jamais poderia ter trabalho em um lugar "pesado" como aquele, que como ela mesma resumiu - um grande manicômio. Bem, após algumas narrativas, que eu "não posso" nem comentar aqui, eu diria que ela teve uma excelente experiência do comportamento humano, descendo ao "fosso" da sociedade. Enquanto eu a ouvia, eu pensava, que se ela fosse mais "uma esperta", teria aproveitado a oportunidade de onde estava, porque ser amigo de "policia" no Rio de Janeiro, é melhor que conhecer deputados, vereadores, prefeito, governador... Na hora da despedida, ela me perguntou se eu havia me formado em educação física, tornado-me bailarina, escritora, ou se eu lecionava... Eu desviei o assunto, brinquei, e não respondi, mas achei engraçado o perfil que ela havia traçado de mim, quando éramos adolescentes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há tempos ando buscando contato com a Mônica... Sumiu?

      Excluir
  2. aconteceu comigo algo parecido com o da amiga da Mônica do comentário, mas noutro estado. Vi tanta patifaria que tive a certeza que minha dedicação a merda do estudo formal, da luta por uma merda de diploma universitário, a luta por passar numa merda de concurso e assim ter um "bom emprego" era tudo ilusão. Nunca vi tanta patifaria e loucura como tem nas repartições públicas. Hoje estou feliz, virei vagabundo e autodidata (lendo livros e o google). Meus diplomas estão servindo pra alguma coisa, alimento das traças. Aguardo minha morte, feliz.

    ResponderExcluir
  3. kkkkk quem mandou a gente estudar, Ezio kkkk
    Rogério.

    ResponderExcluir