"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

terça-feira, 17 de abril de 2012

É o homem que eu sou que me faz misantropo...


Para que vejam o nível técnico e de modernidade em que nos encontramos aqui na Capital da República só hoje a polícia conseguiu pegar um dos ladrões mais procurados por aqui que roubava lojas, postos de gasolina etc., e que o fazia sempre à cavalo. Que tal? Para completar essa bizarrice, seu receptador, isto é, aquele que comprava dele o material dos roubos é um homem de 61 anos, isto é, já com um pé no outro mundo...
Os professores do DF continuam em greve. As crianças, que por unanimidade acham a escola uma chatice e uma mini penitenciária, estão eufóricas. É bobagem achar que se está perdendo alguma coisa com essa paralização escolar, pois as tevês estão cada dia mais atraentes, em especial para as crianças, os velhinhos e as donas de casa, não é verdade? Substituem perfeitamente os currículos principalmente no que diz respeito ao lúdico e ao trágico-cômico dos livros escolares. Aliás, desde o defunto Chico Anízio é moda e todo mundo no Brasil até acha que o humor, as piadas, as gozações revolucionam os cérebros, fazem bem ao corpo e à mente, até mesmo para a saúde mental, não é verdade? Para atolar o populacho na alienação, então... é uma maravilha!!! Prestem atenção no número de chanchadas disponíveis no seu telão de dois metros quadrados. O Datena acaba de inaugurar mais uma. Mas existe o CQC; A Praça é Nossa; os caras do Pânico; Os Cassetas; Agora é tarde; o Jô; Zorra Total; o Ratinho; a XUXA (essa nem sei se existe ainda); um clube do tal Stand Up em cada esquina, etc., etc., etc.,. Mesmo que se ensinasse filosofia, antropologia, psicologia, sociologia e astronomia já no pré-escolar, nossas crianças não teriam chances de escapar dessa tv-escola para dementes, desses malandrins "comediantes" e dessa má índole generalizada.
Não sei se você já se interessou em saber o que é NIILISMO. Não importa. Mesmo ali no Wikipédia você vai encontrar uma definição satisfatória: [É a desvalorização e a morte do sentido (...) Quando os valores tradicionais depreciam-se e os "princípios e critérios absolutos dissolvem-se". "Tudo é sacudido, posto radicalmente em discussão. A superfície, antes congelada, das verdades e dos valores tradicionais está despedaçada e torna-se difícil prosseguir no caminho, avistar um ancoradouro]. Pois bem, a foto do Lula no leito do Sarney gerou esse sentimento até mesmo entre os mais cegos, estrábicos e míopes seguidores do homem de Garanhuns... Cinco vezes por dia abro o Dictionnaire du parfait cynique, de Roland Jaccard e escolho ao azar uma frase para mantra. A desse momento foi esta: "C’est l'homme que je suis qui me rend misanthrope".

Nenhum comentário:

Postar um comentário