"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sábado, 14 de abril de 2012

Darwin e a corrupção...


Quando se lança ao ar um punhado de penas, todas cairão no chão de acordo com leis muito bem definidas” dizia Darwin. Dos políticos, dos homens públicos e de qualquer um se pode dizer a mesma coisa, todos se perverterão e se corromperão a sua maneira quando essa possibilidade estiver ao seu alcance. O tédio, a pena de morte a que cada um de nós está condenado e a consciência da miserável condição humana perverte. Portanto, já é tempo de colocarmos um ponto final nessa indignação beata que nos excita sempre que há a divulgação de um novo escândalo. Onde foi que aprendemos que roubar, corromper, propinar, chegar antes e rapinar é em si algo negativo, mau, antiético, pecado, desumano? Equívoco babaca! A vida em si é uma fodeção mútua e permanente e tudo ao nosso redor é circunstanciado exatamente por essas qualidades que viemos aperfeiçoando desde o verme até o homo sapiens. Veja quem são os homens que ficaram na história recente... Veja a fisionomia serena e simpática do Cachoeira, dos chefões cariocas do bicho, do PC Farias, daquele careca de Minas etc. Todos Zen! E foram tão privilegiados pela evolução da espécie que seduzem e manipulam senadores, governadores, presidentes da república, sindicalistas, doutores de fundo de quintal, padres, secretarias, bacharéis, chefes de congregações, donos de faculdades, taxistas, policiais, juízes e o caralho a quatro com uma desenvoltura admirável! Passam uns dias na prisão para acalmar a inveja incontrolável da turba e saem de lá mais iluminados ainda, com cada vez mais admiradores, amantes e discípulos... Repito: a imensa maioria dos sete bilhões do planeta é composta por párias a quem só lhes resta o estômago, o clitóris e os bagos. A minoria “republicana”, vestida de purpura e de diamantes, é a legítima, poderosa e intocável puta da Babilônia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário