"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

O PIB e a matança automobilistica...


Para diversificar a babosice festiva e a manipulação das massas engendrada durante os dias de dezembro, a mídia ressurgiu da ressaca natalina eufórica e dando manchetes de que agora o Brasil é a sexta maior economia do planeta! Ultrapassamos a Grã-Bretanha!!! Cacareja um energúmeno. Em outro momento um ministro diz que em vinte anos teremos o nível de vida dos europeus. É evidente que ele que quis dizer: em vinte décadas! Piadas à parte, está literalmente perdido o país cujos “economistas” e “consultores” de plantão são todos ex-políticos, ex-ministros de Estado ou ex-assessores de bancos estatais ou outro tipo qualquer de crápula biônico. E depois, se o slogan dos manifestantes de Walt Street é 99% VERSUS 1%, aqui deveria ser 99,5% VERSUS 0,5%. Quem é que não sente que toda a tal sexta economia gira ao redor de apenas 0,5% da população? Que os 99,5% são de pobres assalariados, de uma classe média bordeline que vive travestida e na pindaíba? De milhões e milhões de mulheres e de homens alienados e anônimos enclausurados em seus presídios domésticos vivendo apenas as custas de antihipertensivos, antidiabéticos e antidepressivos? Ou então de semi-assalariados, mortos de fome, de mendigos disfarçados que andam por aí arrastando as correntes e negociando seus bricabraques em troca de arroz com ovo ou de alguma promessa? Em outras palavras, quem é que não percebe que o tal PIB não tem nada a ver com o populacho desorientado, ébrio de carências e intoxicado por uma necessidade de comprar e de acumular porcarias? Expulse-se as corporações estrangeiras e o país cairá de uma semana para outra nas condições do pré “iluminismo”. Carros em 5 anos! Motos em 6 anos! Atrás de cada volante um idiota louco para suicidar-se. Só neste final de semana morreram aqui sob nossas barbas um sete ou oito. Um verdadeiro autoextermínio fomentado pela mídia, pelos industriários e por um Estado irresponsável!

Saldo dos últimos três dias: Síria em guerra civil = 25 mortos. Bomba em Bagdá = 7 mortos. Bombas na Nigéria = 40 mortos. Mortes em acidentes de trânsito no Brasil = 95 mortos. Parece que ao Detran ficou apenas a tarefa mórbida e vil de cobrar multas indecentes e de ir recolher cadáveres e latarias despedaçadas ao longo das avenidas e das estradas. No amanhã, quando as fábricas de automóveis não mais corromperem, subjugarem e sustentarem criminosamente os governos, para comprar um carro ou uma moto (como para ter um filho) o sujeito deverá ter um grau de consciência mais ou menos como a do legendário Lobsang Rampa ou então passar por um treinamento semelhante e ainda mais longo que aquele que recebiam os velhos e rabugentos samurais.

3 comentários:

  1. Enfim alguém fala e escreve o que precisa ser dito neste país.

    ResponderExcluir
  2. Mais do que exigir sensatez no trânsito, devemos exigir um transporte público de qualidade. Cadê o trem-bala Rio-São Paulo?

    ResponderExcluir
  3. Digo mais: onde esta AO MENOS a porcaria do metrô decente de bh?

    ResponderExcluir