"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O narcisismo descarado das corjas midiaticas...















































































É com ânsia de vômito que volto a tratar do mesmissimo tema: a cambada de narcisistas que se aglutinou ao redor da mídia (apresentadores, modistas, fotógrafos, repórteres, palhaços, atrizes, músicos, novos ricos, modelos, cineastas, escritores, jogadores, michês, supostas celebridades etc..,etc.,etc) e que não faz outra coisa senão queimar incenso uns para os outros além do rodízio de promoção mutua para faturar sobre as massas, humilhar, intoxicar e fazer inveja a uma plateia imensa de pobres coitados. Por exemplo: o que me interessa se a fulana (ex-biscate convertida) amamenta seu filho com a teta direita ou com a esquerda? Em que pode ser útil para as massas ruminantes saber que o fulano de tal foi órfão e estelionatário (convertido) antes de tornar-se "dono de um canal". Para que me serve a informação de que aquela vaca bípede acredite na vida após a morte e que acende uma vela para cada santo antes de tomar seu barbitúrico? As medidas do quadril da cantora tal, os metros quadrados de sua mansão, as memórias de sua mãe e a santidade de sua avó me interessam para quê? As propagandas que aquela múmia insiste em fazer, para que me servem? Os detalhes do casamento do neto do fulano de tal, o valor de seu terno, o nome que darão ao feto? A fulana vai substituir a sicrana! O monsieur vai mudar-se para Chicago, seu filho vai assumir seu lugar! O salário do fulano foi triplicado. Aquele porco perdeu trinta quilos! O relógio do fulano custa mais que quatro casas populares! O casal de pombinhos foi recepcionado pela fina flor da monarquia espanhola! A fulana estava bêbada na festa tal com o fulano de tal e em seguida sairam para copular! A prima do diretor está grávida, depilou-se com o melhor carniceiro de Barcelona, diz que em outra vida foi uma rainha ou uma cigana... etc., etc., etc., e toda essa baboseira infame sob uma aura de transcendência com efeitos sonoros, luzes, palmas, citações do Novo Testamento, lágrimas, confetes, juras de bondade infinita como se se estivesse falando de sumidades, de pessoas que tivessem agregado, pelo menos, um grão de fuligem para facilitar a tediosa marcha da sociedade. Puro blefe! Cambada de pulhas! Além de não haver ética e nem vergonha para que nos serve a intimidade desses merdas??? Apoderados do dito Quarto Poder, exibem os culhões, o chulé, o rabo, as entranhas e as vaidades pervertidas sabendo que, mesmo assim, serão idealizados, quando não mistificados, pelas manadas torpes, suicidas e silenciosas. Além de terem barganhado as "concessões" por caminhos clandestinos ainda se dão o luxo de tornar a TV um palco de histerias e de desonras, uma escola de mau gosto e de misérias sob a qual os rebanhos e mesmo a suposta classe média, sem substância alguma para elaborar a critica e para tornar-se invulnerável, sucumbe.

Portanto, é evidente que a proposição em pauta de Regulamentar a Mídia é mais do que urgente e necessária. E mais, além dos motivos indicados pelos proponentes, deve colocar um freio radical nessa corja de analfabetos deslumbrados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário