"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Brasil, meu Brasil brasileiro...

Mesmo que você tenha viajado para o outro lado do mundo, para outro planeta ou até mesmo para outra galáxia, voltar ao Brasil é sempre uma aventura inigualável, é sempre deparar-se com situações surpreendentes e surrealistas. Neste momento - por exemplo - , todas as atenções dos mais renomados especialistas em comportamento e em perversões humanas e todo o Congresso Nacional estão voltados para a liberação ou não de uma determinada Cartilha Escolar que ensinaria às crianças, entre outras coisas de máxima importância, que deus, aquele barbudo que criou o Universo, os pepinos contaminados da Espanha e todas as coisas, não fez aquele buraquinho de trás só para soltar pumm e nem só para fazer cocô... As crianças, e também alguns maestros, certamente ficarão mais do que felizes com a descoberta... Também está em pauta a possibilidade do Ministério da Educação ter ou não a liberdade de, com seus livros escolares, ser um Ministério que Des-educa e que faz de tudo para respeitar e manter o populacho no clima da Idade Média. Nisto eu até estou de acordo com o Ilmo. Sr Ministro. Abaixo a ditadura das letras, dos verbos, das crases, dos advérbios, das preposições. Chega dessa rigidez e dessa repressão lingual! Nóis fala do jeito que nóis qué! Viva a diversidade! Viva a ignorância instituída! Ainda chegaremos a ser o primeiro país do planeta em termos de defensoria das "diversidades" e, finalmente, através delas, dessa busca cega por uma anti-identidade e dessa frouxidão psicopática nos desintegraremos por completo.

Outro tema dominante neste principio de junho é o relacionado a bandidagem e aos assassinatos no campo. Desde que nasci se discute essa questão e com a mesma inutilidade. Ainda no berço ouvia tiroteios e sentia o cheiro da pólvora por um alqueire, por uma gleba, por dez palmos de terra onde semear algumas mandiocas e algumas ilusões. Até a espingarda que havia sobre a mesa de minha casa estava sempre fumegando. Mas agora, dizem, é diferente, somos todos socialistas e toda a Justiça, todos os padres, todos os latifundiários e a jagunçada estão conosco, mobilizados para refletir sobre o assunto. Agora o assunto se resolve. Agora tudo se esclarecerá... Deus continua sendo bom! Deus, sem dúvidas é brasileiro! É inclusive ele quem dá forças ao dedo indicador desse pessoal para que consiga puxar o gatilho. Realmente, 1800 jurados de morte em pleno século XXI é alarmante, é mais do que uma loucura... Mas, e a humanidade inteira, que já nasce com sua pena de morte decretada???

2 comentários:

  1. Prezado Ezio, sou leitor assíduo dos seus livros e do seu blog, e devo lhe dizer que como brasileiro e brasiliense, que estou estupefato com essa involução. Agora, a homossexualidade é o novo preto e escrever errado é o frisson. Mas que porra de involução é essa?

    ResponderExcluir
  2. "homossexualidade é o novo preto" que isso? Quis dizer o novo negro!? O texto apenas falou sob a visão "sacartico debochada" dos acontecimentos. Mas com certeza válido.

    ResponderExcluir