"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Noticias e entretenimentos insólitos...

Apenas no ano de 2010 os gestores, os executivos, os governantes, e os lobistas cumpliciados com “artistas” locais e nacionais desviaram aqui no DF 40 milhões dos “cofres estatais”. Justificativas: shows para as massas; os artistas devem ir onde o povo está; entretenimento para os trabalhadores; arte popular; exposições de alta relevância; filmes de longa, curta e micro metragens; divulgação da cultura; incentivo e circulação do saber e mais alguns neologismos infames que nem me lembro. Tudo superfaturado e tudo de qualidade visivelmente precária. Duvido que tenha ficado pelo menos uma centelha desses abacaxis na memória do populacho. Eu que assisti a quase todos, posso assegurar que quatro milhões já teria sido uma infâmia, imaginem então quarenta milhões. Mas agora não adianta os Ministérios, a polícia, as donas de casa e outras trupes de invejosos e moralistas espernearem. A grana já foi despachada para Paris, Londres, Hong Kong ou até mesmo enterrada nos jardins da Babilônia.

Prenderam o chefe do WikiLeaks com o argumento papal de que ele havia comido duas suecas sem camisinha. Como naquele país esse fato tem a conotação de estupro foi encarcerado. Ora, ou as tais mulheres eram retardadas mentais, paralíticas ou coisa parecida e não tinham soberania alguma ou então ele teria que tê-las forçado a tal. Só que quem conhece o diâmetro das coxas e o porte médio das suecas e já viu o físico do Julian Assange entende logo que essa segunda hipótese não seria possível e que, portanto, tudo não passa de uma calúnia com fins judiciários.

Dizem que a apresentadora e octogenária Hebe Camargo está saindo de uma empresa de TV para outra onde faturará mensalmente uns setecentos mil Euros. Para que? Para seguir fazendo as mesmas macaquices de décadas a uma platéia geriátrica. Enquanto isto os cirurgiões dos Hospitais Universitários ganham mil e oitocentos reais por mês e as turbas na periferia de Brasília seguem se matando por vinténs, churrasqueando vacas com aftosa e assando porcos pesteados.

Um comentário:

  1. Você, Ezio, sempre demolidor! Como aprecio seus textos!...Maria Cristina, filha de Brasílio.

    ResponderExcluir