"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 5 de maio de 2010

COME TUDO SUA CACHORRA...

Independente de ela ser realmente adepta de uma seita de Satã – como dizem - o caso da madame de Ipanema que torturava a menina adotiva está ganhando magnitude surrealista e estratosférica num país infestado por um falso moralismo, por bacharelices emergentes e de todo tipo, e principalmente onde a grande maioria das crianças é secretamente indesejada, rejeitada, humilhada, xingada e tratada como estorvo em suas casas. Se as domésticas passassem a abrir o bico sobre aquilo que testemunham nas mansões dos grãfinos, nas residências da classe média e mesmo lá na solidão tenebrosa  dos cortiços, a sociedade, desmascarada, entraria rapidamente em colapso. 

E depois, qualquer um sabe que a história da humanidade foi alicerçada também sobre inúmeros e incontáveis infanticídios. Aqui mesmo, nestes inconseqüentes e infelizes trópicos, já no final da Guerra do Paraguai, nossos heróicos soldados degolaram mais de três mil crianças paraguaias. Corpos que o eminente Conde D’Eu deu um fim mandando tocar fogo nas macegas. Dia 16 de agosto é comemorado El dia del nino no Paraguay, em memória a essa ignomínia.

obs: Se você quer saber mais sobre infanticídios e filicídios leia meu livro: A lógica dos devassos (no circo da pedofilia e da crueldade)

11 comentários:

  1. Tenho vários ensaios sobre a hipocrisia do bicho homem, que por incrível que pareça quer ser tudo, menos bicho, mesmo no meio do mais sádico instinto, o instinto de destruição, chamo de instinto por ele ser desvinculado da razão, já que não consigo imaginar como alguém em plena capacidade do pensar consiga fazer tamanha barbaridades.

    ResponderExcluir
  2. Ok, dr Ezio... concordo que nossa sociedade é um tanto moralista e que há uma exploração quase teatral de toda essa história, mas quem sabe nós consigamos tirar algum proveito de todo esse sensasionalismo? Pelo menos pode-se discutir e repensar mais sobre esse processo de adoção baseado na aparente "condição" dos pais adotivos... e, oportunismos e hipocrisias à parte, às vezes algum "fabricante de leis" utiliza de notícias como essas para "brilhar", mas acaba por criar alguma lei que seja um pouco mais justa e coerente, melhor dizendo, mais útil...

    ResponderExcluir
  3. Será? Fico perguntando-me a partir do último comentário ao texto do Bazzo. E chego a pensar que há uma facção de seres que não são humanos e estão aí desde sempre e me parece que nada conseguiu até hoje mudar este estado de coisa no mundo. Se acompanharmos as notícias veremos que é um completo show de atrocidades e barbarismos. O homem não evolui. Recomendo o livro do Ezio Bazzo, é um trabalho sério, realista, que nos mostra como nossa sociedade doente vive de falsas aparências e completamente alienada.

    ResponderExcluir
  4. Se aposentada ela batia desse jeito em crianças, imaginem os estragos que deve ter feito quando ainda era promotora da ativa.

    ResponderExcluir
  5. Da casta rumante à ordem e ao progresso, só podem vir os futuramente degolados, empalados, entalados dos ditames que aliviam a inoperância de buscar a moral nesse aglomerado de amoralidades; os únicos detentores de uma são surrados, empurrados ao abismo, e perdem a esperança que possivelmente só os mais cegos inválidos, dementes em seu coma profundo, têm como última lucidez; ou, os alforriados num sonhado e prematuro ostracismo.

    Eu já estou infectado, e, pior, me alimento desses vermes. Vai ver eles não me consumiram por inteiro.

    ResponderExcluir
  6. Sem dúvida, Maria Helena, há uma porção de seres capazes das piores atrocidades... mas descreditar a capacidade evolutiva do homem é uma visão bastante pessimista do ser humano... afinal, você não evoluiu ao longo da sua vida? Todos cometemos erros, alguns grosseiros, outros nem tanto. Mas, de fato, são poucos que realmente conseguem "evoluir" a partir deles... mas se vc já consegue reconhecer que nossa sociedade (que nos inclui) é doente, já é um bom passo, pois quem sabe assim vc não encontre a sua "cura"?

    ResponderExcluir
  7. Oi, Calçados Getúlio ( esquisito seu nome - rsr)não consigo ver esta evolução a que você se refere nem acho que me aprimorei e evoluí com o passar da vida. Eu era melhor quando criança, sabe? Algumas coisas melhoram, outras pioram consideravelmente mas principalmente a consciência humana está muito estagnada. E aí perguntaria: a cura pode ser individual???

    ResponderExcluir
  8. midia eh histerica e elege o que deve ser ultrajante ou nao. vide nardoni e etc....
    dos livros do mestre esse sem duvidas eh um dos grandes. leitura obrigatoria.

    ResponderExcluir
  9. As crianças nunca foram bem vindas e por um período curto passaram a ser objeto de investimento de mães promovidas a donas dos lares, progenitoras responsaveis pelo bom andamento da casa, mas isto durou pouco - nem um século. Hoje estamos exercitando um narcisismo de morte ou uma total falta de interesse pelas crianças...
    Nada novo, como diz o Bazzo.
    Abraços.

    i

    ResponderExcluir
  10. Ah, lendo este outro texto seu eu começo a entender... tadinho, fala mal de tudo e todos pq tem trauma de infância.
    Olha, no pq. da Aclimação em SP tem terapeuta de graça. Quem sabe não te serve pra alguma coisa? De repente vc até arruma um amigo na vida, vai saber...

    ResponderExcluir