"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Arbeit macht frei!

Entre as tantas frases que intoxicaram minha vida, duas foram extremamente insuportáveis. A primeira, que ainda deve estar escrita lá na entrada de um Campo de Concentração nazi dizia: Arbeit macht frei! (A liberdade está no trabalho!). A segunda, que vi ontem à tarde, por acaso, na parede de uma repartição pública, sentenciava: “A aposentadoria não é um fim, é um novo começo!” Quase tive uma síncope. Observem como o sadismo e o horror são exatamente os mesmos. Fazer os pobres velhos acreditarem nessas patriotadas e em outras idiotices até piores (a terceira idade é a melhor idade etc) é, no mínimo uma manifestação de vingânça.

Sinceramente, apesar de meu anticlericalismo, prefiro o aforismo do bispo episcopal de Chicago, Gerald Burrill que escreveu: [A diferença entre a trilha rotineira e a sepultura é apenas a profundidade]. Ou então, o conceito de Ambrose Bierce, para quem, [o patriotismo é o primeiro refúgio do canalha.]

Ezio Flavio Bazzo

Um comentário:

  1. Tive mais sorte que você, veja: entrei numa repartição pública e sobre uma das mesas havia uma tabuleta com a seguinte frase: antigamente quem tinha um olho era rei, hoje, aqui, quem tem um olho é banido!

    ResponderExcluir