"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O dia em que o Governador do MS ameaçou estuprar o Ministro do Meio Ambiente

Esta semana foi realmente demoníaca, reacionária e escatológica no território nacional.

I. Um ladrão entrou numa igreja na cidade de Orlândia (SP) e levou vinhos, aparelhos eletrônicos, hóstias consagradas (que para os padres é a mesma coisa que levar o corpo de Cristo) e, se não bastasse, ainda rabiscou nas paredes esta frase: SALVE LÚCIFER. Teria sido o próprio?

II. Invadiram a Embaixada Brasileira em Honduras. O senhor de chapéu (ex-presidente) que tentou dar um golpe ocultando-se na suposta democracia foi defenestrado pelos milicos que, por tradição, são mais rápidos no gatilho. Golpista não é apenas aquele que coloca os tanques e as baionetas na rua, é também o vivaldino que quer mudar unilateralmente as regras do jogo “político-democrático” para perpetuar-se mamando no poder.

III. O governador do MS ameaçou estuprar o Ministro do Meio Ambiente em praça pública depois de chamá-lo de veado e de maconheiro. Imaginem então de que esse senhor será capaz na intimidade! O ministro até que reagiu bem, atribuiu a Freud uma frase que Freud nunca disse e mandou o governador “sair do armário” etc., etc. Papo cabeça de altas autoridades! Só por curiosidade é importante lembrar que chamar alguém de VEADO é a mesma coisa que chamá-lo de tigre, macaco, urso etc. O que realmente tem conotação pejorativa (homossexual) é a palavra VIADO, fragmento da palavra TRANSVIADO dos anos 60.

Como a população reagiu? Ora, não está nem aí. Acontece com o sujeito na sociedade e no rebanho o mesmo que acontece com o sujeito num curtume. Nos primeiros dias tem a impressão que o cheiro irá enlouquecê-lo ou matá-lo, mas dias depois não sente mais cheiro algúm.

Ezio Flavio Bazzo

2 comentários:

  1. Pode, um governador, representante do povo, fazer uma afirmação grostesca e bárbara como esta? Mesmo estando no Brasil, este país das improbabilidades, isto beira a época de Lampião e seu cangaço. Como a população reagiu? E brasileiro reage a alguma coisa desde quando?
    Seu esclarecimento sobre o termo viado foi a melhor do dia!!!

    ResponderExcluir
  2. acertadamente.
    i. distribuição luciferina de rede;
    ii. os antigos piratas veriam isso como o renascimento de sua "democracia pela faca";
    iii. ezio usando teus escrito eu diria: a volta do recalcado - libertinagem com animais - enquanto projeção - ecce bestia!
    e a população segue delirando com sexo e violência espetaculares.

    ResponderExcluir