"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Homens públicos e livros? Os piores estão sempre nos lugares mais altos.

A polêmica sobre a indicação do Sr Toffoli para o STF é fútil. Não é seu nome e nem suas qualidades o que deve ser colocado em xeque e em pauta, mas a prática obscurantista de indicar amigos para juizados e, pior, para cargos vitalícios. Toda indicação é uma fraude e todo cargo vitalício uma réplica das chanchadas monárquicas. Beirando aos sessenta anos torno-me cada dia mais convicto de que Vargas Vila estava correto quando afirmou que viver é prostituir-se. E depois, acontece com os homens na vida pública o mesmo que acontece com os livros nas bibliotecas: os piores estão sempre nos lugares mais altos.

Ezio Flavio Bazzo

2 comentários:

  1. alguns países jamais conseguiram se revolucionar. o que significa que jamais conseguiram mudar radicalmente os donos do osso. e este ninguém quer largar. no máxímo dão um pedacinho para o amigo roer. um jeito da familía perpetuar seu nome e ampliar sua rede de influências. são assuntos da corte. o lado inverso também é uma prática obscurantista vergonhosa: a plebe sonhar que algum dia poderá ser nobre simplesmente por ser plebe.

    ResponderExcluir
  2. Igual em Cuba. A avalanche de pessoas passando fome( de cultura e de liberdade, embora supostamente de barriga cheia), enquanto Papai Fidel e seus comparsas da elite canavieira assistem jogos de Beisebol americano. Assim como Stalin se derramava de gargalhadas vendo Chaplin e milhões de russos morriam de fome... no frio!

    ResponderExcluir