"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 18 de março de 2009

Velhacos, velhacagens, velhacarias, velhacórios


Quem viu o discurso do Senador Cristóvão a respeito da recente reportagem que acusa os senadores de velhacos ficou em dúvida se ele estava realmente se queixando indignado, ou simplesmente aproveitando para, do alto daquela tribuna privilegiada, além de colocar-se a salvo, fazer um elogio e um comercial, tanto ao O Globo como ao articulista que assina o referido artigo.

-“A matéria saiu num jornal que é um dos melhores do Continente e do mundo... – bradava ele com sua postura de pároco. E não foi feita por um jornalista qualquer, mas por um dos mais respeitáveis, que, aliás, é meu amigo”. O Globo, um dos melhores jornais do mundo? E depois, aqui entre nós, existe jornalista respeitável? – foi o que me veio em mente. E o nobre senador, após falar idilicamente sobre “a revolução educacional” e fazer uma breve preleção sobre o significado da palavra VELHACO passou mais uns quinze minutos perguntando aos três ou quatro colegas do auditório e para si mesmo, num tom meio melancólico “o que estamos fazendo de errado para que nos vejam assim?”. Ora, professor Cristóvão, é evidente que essa pergunta também contém os elementos da mais sofisticada das velhacarias!

Ezio Flavio Bazzo

3 comentários:

  1. A impressão que se tem é que a podridão da classe política brasileira será eterna. Nem a "bomba nuclear" que foi a entrevista recente do senador Jarbas Vasconcelos na Veja conseguiu mudar um pouco esse quadro desolador...

    ResponderExcluir
  2. Coitados, não é? O que fizeram, o que fazem, o que farão? Ninguém sabe! O termo certo para designá-los é - velhacossauros!!!

    ResponderExcluir
  3. a velhacaria é algo milenar! são centenas de séculos nos quais milhares se dedicam a refinar tal arte de picaretear. são cádetras, fóruns, colóquios, grupos de trabalho, conselhos, assembléias, confrarias. por isso cristóvão se pergunta o que fez de errado. aluno hábil e esforçado dessa arte, agora é professor. outro aluno aplicado, tanigushi (secretário de Estado de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente do DF) discursou ontem para uma platéia de orelhas baixas. tal valhaco de questões ecológicas, dizia que deveríamos seguir o modelo ecologicamente correto dos eua! ah, senhor da foice e do cutelo, belíssimo modelo este, onde apenas 30% da população consome 80% dos recursos naturais.

    ResponderExcluir