"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

domingo, 22 de junho de 2008

O que nos intreressa é a lista dos "LIMPOS"


Enquanto o STE não decide se divulgará a lista dos candidatáveis "sujos", nós que duvidamos que haja uma lista de candidatáveis "limpos" voltamos a ler o velho e lúcido Marcuse: a tolerância com a imbecilização sistemática de crianças e de adultos pela publicidade e pela propaganda, a libertação do espírito destrutivo ao volante dos automóveis, o recrutamento e treinamento de forças militares e para militares por todos os lados, a importante e benevolente tolerância com a fraude declarada no comércio, a política que como um imã atrai praticamente só canalhas, o desperdício e a obsolescência planejada não são apenas distorções e aberrações, constituem a própria essência de um sistema que fomenta a tolerância como meio de perpetuar a luta pela vida e de suprimir as alternativas. As autoridades em educação frequentemente se escandalizam e vociferam contra a delinqüência infantil, porém se escandalizam e vociferam bem menos contra a irresponsabilidade de velhos mentirosos, corruptos e gananciosos de toda uma sociedade.


Ezio Flavio Bazzo

Um comentário:

  1. ezio, lendo seu texto, com uma dose de arak em uma mão e um charuto (roubado) na outro, penso em propor ao povo brasileiro uma antiga e eficiente forma de gestão: a anarquia organizada pela democracia por assassinato. durante séculos, argel (norte da áfrica) geriu suas riquíssimas sociedades desse modo - até o império espanhol alí chegar e arrasar com toda exuberância que lá havia. assembléias de soldados janízaros e celebridades corsárias fazendo sua própria política. tal com aqui, mas com a honrosa diferença de estarem além do bem e do mal. todos tinham consciência da crueza do outro. isso não era problema. era até virtuoso. nada tinham a esconder. nada de megalomania estatal e muito menos nenhum fanatismo popular que os aplaudisse.

    ResponderExcluir