"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Agora sim seremos verdadeiramente felizes!


Agora sim seremos verdadeiramente felizes! Com a fusão de nossos dois maiores bancos só os insensatos não sentiram seu entusiasmo e sua esperança redobrarem.

A felicidade tão esperada foi anunciada e a bem-aventurança está prestes a bater à porta de milhões e milhões de clientes. E são ingratos aqueles que, com sarcasmo, equiparam essa patriótica fusão àquela da Camorra com a Cosa Nostra ou a da turma da igreja do Reino de Deus com a troupe da Carismática. São niilistas sem fé e maus cidadãos aqueles que não acreditam nos desígnios das finanças e nem nos propagandistas da redenção. Foram esses desertores sociais que contaminaram o mundo com a idéia de que viver é prostituir-se e de que a vida mancha. Oremos aos banqueiros!

Ezio Flavio Bazzo

Um comentário:

  1. uma frase bíblica, levemente corrigida, para os sacro-santos banqueiros:
    o senhor é meu pastor e nada LHE faltará!

    ResponderExcluir